quarta-feira, 2 de março de 2011

René Descartes




Iluminismo


O iluminismo foi um movimento intelectual ligado aos valores da burguesia que ganhou força no final do antigo regime nos séculos XVII e XVIII na Inglaterra. Caracterizava-se pelo racionalismo, antimercantilismo, antiabsolutismo e o anticlericalismo. Os principais pensadores iluministas são:



René Descartes: filósofo, matemático, cientista e considerado um dos pioneiros do iluminismo. Descartes afirma que o ato de duvidar permite ao homem comprovar sua própria existência pensando.




Isaac Newton: físico, astrônomo e matemático foi um dos fundadores do iluminismo. Formulou a lei da gravitação universal que foi uma importante descoberta.




John Locke : político, religioso, defendia a liberdade civil e se dedicava a vida pública. Contribuiu para o combate ao absolutismo.




Voltaire: escritor, crítico que se destacou por criticar violentamente os abusos do clero e da igreja que segundo ele oprimia as pessoas.




Montesquieu: jurista, filósofo e escritor. Apresentava problemas políticos e sugeria soluções. Em seu livro “O espírito das leis” expôs sua teoria dos poderes legislativo, executivo e judiciário a fim de impedir abusos de poder.




Rousseau: filósofo, democrático e popular. Pregava liberdade, igualdade e fraternidade. Dizia que “o homem nasce bom, é a sociedade que o corrompe”.




Na economia, o iluminismo gerou a doutrina fisiocrata e do liberalismo econômico. A doutrina fisiocrata foi criada por François Quesnay que afirma que a terra é a única fonte de riqueza e que a agricultura era a mais importante atividade econômica. A doutrina fisiocrata reagiu contra o mercantilismo e influenciou outros economistas como Thomas Malthus, David Ricardo e Adam Smith.




O liberalismo econômico foi criado por Adam Smith que afirmava que a única fonte de riqueza era o trabalho e não a terra. Se mostra contra a intromissão do governo na economia e era favorável à liberdade de produção.




No poder, ocasionou o despotismo esclarecido que era uma política reformista que tinha como objetivo aumentar o poder e o seu prestígio e enfraquecer a oposição ao governo. Os principais déspotas esclarecidos são: Frederico II, Catarina II, José II, Marquês de Pombal



Biografia de René Descartes



Oriundo de uma família burguesa abastada e nascido em La Haye, em França, em Março de 1596, René Descartes é considerado como um dos maiores filósofos de sempre. A ele se deve a célebre frase "cogito, ergo sum" ("penso, logo existo").



Resumo Biográfico



Com apenas dez anos um colégio dirigido por padres jesuítas, o Colège Royal de la Flèche, considerado como um dos melhores estabelecimentos de ensino da época. Com 18 anos deixa o colégio para se matricular no curso de Direito em Poitiers, completando a sua licenciatura em 1616. Dedica-se então à carreira militar, alistando-se no exército protestante holandês de Maurício Nassau, onde conhece o sábio Isaac Beeckman. Passa depois pela Dinamarca e daí para a Alemanha onde se alista nas tropas católicas do duque Maximiliano da Baviera.



Em 1619, supostamente após uns sonhos, toma consciência da sua verdadeira vocação de intelectual e abandona a carreira militar. Inicia então um período de viagens pela Alemanha e Holanda, regressando a França em 1622.


Em Paris conhece o escritor Jean-Louis Guez (de Balzac) e cientistas como Morin, Mydorge e Villebressien. Convive também com o Padre Marsenne, homem muito interessado pelo saber e pelo culto, com quem Descartes mantém vasta troca de correspondência acerca da sua filosofia.




É também durante este período que trava conhecimento com o Cardeal Pierre de Bérulle, homem extremamente influente, que convida Descartes a efectuar a defesa metafísica dos princípios religiosos.




Em 1628, escreve a sua primeira obra (em latim), "Regulae ad Directionem Ingenii" (Regras para a Direcção do Espírito), obra esta que viria a ser publicada apenas em 1701, cinco décadas após a sua morte. Nela expõe a autêntica ordem da razão e o método científico, rompendo com o método da física escolástica.



Em 1637 publica o "Discours de la Méthode" (Discurso do Método) no qual critica o método da Escolástica e e propõe uma nova orientação para a Filosofia. Em 1633 escreve a sua obra de Física, "Le Monde", mas cuja publicação viria a ser adiada tarde devido à notícia da condenação de Galileu.



Em 1641 publica as "Meditationes de Prima Philosophia" (Meditações sobre a Filosofia Primeira) onde procura dar uma fundamento sólido à ciência e responder ao ateísmo céptico e libertino.



Em 1644 escreve outra obra célebre, esta em forma de manuais, "Principia Philosophiae" (Princípios de Filosofia), com a qual tenta impor nas escolas a sua filosofia em substituição da filosofia escolástica.




Em 1649 viaja para Estocolmo a convite da rainha Cristina da Suécia, cidade onde viria a falecer no ano seguinte, vítima de pneumonia.



Principais obras publicadas




Publicadas durante a sua vida



. Discours de la Méthode (1637)



. Meditationes de Prima Philosophia (1641)



. Principia Philosophiae (1644)



.Publicadas após a sua morte



. Musicae Compendium (1650)



. Lettre Apologétique (1656)



. De Homine (1662)



. Le Monde ou le Traité de la Lumière (1664)



. Traité de la Formation du Foetus (1664)



. Traité de la Mecanique (1668)



. Regulae ad Directionem Ingenii (1701)




Frases de René Descartes



"Penso, logo existo."





"Daria tudo que sei, pela metade do que ignoro."



"A caridade cobre com um véu os defeitos dos homens."



"Elevai a tal ponto a vossa alma que as ofensas não possam alcançar."



"Afasta-te de todas as impressões dos sentidos e da imaginação, e crê apenas na tua razão."



"A inteligência humana só é infalível quando decide sobre o que percebe distintamente."



"O bom senso é a coisa mais bem distribuída do mundo: todos pensamos tê-lo em tal medida que até os mais difíceis de se contentar nas outras coisas não costumam desejar mais bom senso do que têm."



"A leitura de todos os bons livros é qual uma conversação com as pessoas mais qualificadas dos séculos passados."



"Viver sem filosofar é o que se chama ter os olhos fechados sem nunca os haver tentado abrir."




"A intuição é uma concepção não duvidosa da mente pura e atenta, e nasce apenas da luz da razão."



"Quando gastamos tempo demais a viajar, tornamo-nos estrangeiros no nosso próprio país."



"A moral, ciência que pressupõe o conhecimento das demais ciências, é o supremo grau da sabedoria."



"Sucede com freqüência que os espíritos mais mesquinhos são os mais arrogantes e soberbos, assim como os espíritos mais generosos são os mais modestos e humildes."



"Despreza-se um homem que tem ciúmes da mulher, porque isso é testemunho de que ele não ama como deve ser, e de que tem má opinião de si próprio ou dela."



"As paixões são todas boas por natureza e nós apenas temos de evitar o seu mau uso e os seus excessos."



"Em matéria de amor, não amar é o meio certo para ser-se amado."



"Não basta termos um bom espírito. O mais importante é aplicá-lo bem."



"Não ser útil a ninguém equivale a não valer nada."



"O alimento da juventude é a ilusão."



-Antimercantilismo


Éra controlado pelo governo atravéz da econômia, e o comércio era considerado a primeira fonte de riquesa de um país.



Apatir do século XVIII, influenciados pelo iluminismo, vários economistas passaram a descordar dos principios mercantilistas, e falavam que eles impediam o crecimento do país.



-Antiabsolutismo



Tal como John Locke e outros pensadores, questionaram a ordem vigente, defendendo não apenas a liberdade intelectual, mas também a liberdade política.



Criticaram o absolutismo, o mercantilismo e as condições sociais dos diversos países europeus.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário